Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sua meditação tem o propósito de chegar ao significado real, ao significado interior da declaração "Eu e o Pai somos um". Mas, como principiante, você não pode manter isso por muito tempo. Você perde rapidamente o fim da meada e se surpreende pensando que está perdendo sua entrevista no escritório, ou que vai perder o ônibus ou o trem. A primeira coisa que percebe é que seus pensamentos estão vagando. 
 
Nesse ponto, traga suavemente de volta seu pensamento para "Eu e meu Pai somos um". Não fique impaciente, não se condene e não pense que não há esperança para você. Não dê atenção a esses passeios da mente, mas suavemente traga seu pensamento ou atenção de volta e comece novamente, refletindo sobre esta ideia, ou até mesmo poderá surgir, nessa ocasião, outra ideia, provavelmente bem melhor para o momento. Quantas vezes seu pensamento fugir da ideia, retorne a ela novamente, sem impaciência, sem crítica ou autojulgamento. 
 
Nesse estado inicial, não só os seus pensamentos vagam, mas se mantêm viajando para dentro e para fora — toda espécie de pensamentos indesejáveis. Você pode pensar que eles são seus pensamentos. Mas não são. Eles estão apenas tocando em você, procurando perturbá-lo, distraí-lo; portanto, não os combata, não tente parar de pensar no que está pensando porque você não terá êxito, e saber disso pode poupar-lhe uma enorme quantidade de problemas. Você nunca terá êxito parando de pensar; portanto, deixe que esses pensamentos entrem e saiam e faça o que desejam fazer. Não se preocupe com eles. Apenas retorne ao seu centro, para o assunto específico de sua meditação. 
 
Chegará um momento, à medida que você avançar nesta prática, quando não surgirão pensamentos estranhos, porque você os terá eliminado por desatenção, você terá se tornado tão sem receptividade para eles, não os combatendo, que eles não retomarão. Mas se você os combater, eles estarão lá para sempre, porque seu combate contra eles é exatamente o que os mantém vivos. "Concilia-te depressa com teu adversário, enquanto estás no caminho com ele." Todos esses pensamentos errados que sempre surgem não são perigosos nem nocivos; ninguém saberá deles; e eles não lhe causarão nenhum mal. Deixe que venham; deixe que se vão; mas não lhes dê atenção
 
Lembre-se sempre de que você está em meditação apenas com um propósito — compreender Deus (sua real natureza). E, assim, você reflete sobre essas verdades das escrituras: "Eu e meu Pai somos um"... "Meu reino não é deste mundo"... "Conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti". Escolha uma que lhe seja própria, ou você pode chegar a um ponto onde alguma coisa de que necessite para esse determinado dia virá virá a você, e você refletirá sobre ela. 
 
O que eu estou salientando é que você leve um pensamento central ou uma citação inspiradora para a meditação, não com o propósito de repeti-lo (o que seria um condicionamento), mas para descobrir seu significado real ou interior, de modo que nunca o entregue ou pense nele como uma citação. 
Posso lembrar-me por quantos meses vivi com esta declaração: "Não pela força, nem pela violência, mas pelo meu espírito". Finalmente, cheguei ao lugar onde isso traduziu-se para mim nestas palavras: "Não pela força física, nem pela violência mental, mas pelo Meu Espírito — pela realidade de meu próprio Ser." Pratiquei isto durante oito meses, cinco, seis, oito vezes por dia, antes de chegar ao lugar onde houvesse um segundo de paz e sossego dentro de mim.
 
Mas você jamais terá de passar pelos vários estágios do desenvolvimento de quem quer que seja. Você nunca terá de dirigir Fords modelo T. Você nunca terá de iluminar sua casa com lampiões de querosene. Você nunca terá de passar por aqueles dias atribulados em que teve de se submeter a tratamentos mentais, preocupando-se com as influências maléficas que estão agindo sobre você. Você pode começar com o mais alto ponto de desenvolvimento alcançado até este momento; você pode começar no mais alto nível revelado à Consciência, porque todas as pessoas que passaram por estas coisas aplainaram o caminho para você. 
 
Assim é com a meditação. Você constatará muito cedo que as ideias ou citações originais virão à você — uso a palavra originais no sentido de que essas ideias não foram dadas a você por qualquer pessoa, mas que elas lhe ocorreram diretamente — e você consegue ficar em paz por um minuto, dois, três, ou quatro.

Joel S. Goldsmith em, O Suprimento Invisível   
 
 
Divulgado por pensar compulsivo2
  
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Estamos no facebook