Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A beatitude de permanecer centrado no Ser .


Tente entender qual é o problema da mente: quando dividida, está doente; quando não-dividida,está saudável. Quando existem muitas coisas contraditórias na mente, ela fica doente, fica como uma multidão, como uma louca multidão. Mas, quando existe apenas uma coisa na mente, ela fica saudável —porque através da unidade uma cristalização acontece. A menos que na mente exista apenas uma coisa,ela permanece doente. Há certos momentos em que sua mente também atinge a unidade. Alguns momentos acontecem, algumas vezes, acidentalmente. Certa manhã, você levanta cedo; tudo está fresco e o sol está surgindo; tudo é tão belo que você se torna centrado. Esquece que tem de ir ao mercado, esquece que tem de ir ao escritório, esquece que é hinu, maometano ou cristão, esquece que é pai, mãe ou filho — esquece este mundo. O sol é tão belo e a manhã tão fresca que você penetra nela e torna-se um só. Por um singular momento, você é um só, sua mente é total e saudável; você sente uma benção surgindo por todo o seu ser. Isto pode acontecer acidentalmente, mas você também pode fazer com que aconteça conscientemente.

Quando a mente é uma só, uma qualidade mais alta expressa a si mesma e a inferior cai imediatamente por si mesma. É exatamente como numa escola: quando o diretor está presente, os professores trabalham bem, os alunos aprendem e há ordem. Quando o diretor sai, os professores são a autoridade mais alta e não existe tanta ordem porque os professores estão em liberdade. Uma energia mais baixa começa a funcionar — eles vão fumar, tomar chá e começam a tagarelar. Ainda assim, se os professores estiverem presentes, os estudantes estarão quietos. Mas quando o professor sai, a classe viraum caos; é uma multidão, uma louca multidão. O professor entra na classe — e de repente, tudo muda. Uma força mais alta entrou, o caos desapareceu. O caos demonstra simplesmente que uma força mais alta está ausente. Quando não existe nenhum caos, quando há harmonia, isto demonstra que uma força mais alta está presente. Sua mente está em caos — um ponto mais alto é necessário, uma cristalização mais alta é necessária. Você é exatamente como um aluno, uma classe, uma classe louca onde o professor não está. Quando você se concentra, imediatamentese faz sentir uma função mais alta.

Este é o processo completo. A mente está doente porque não tem nenhum centro. Você já obteve um centrona mente? Você pode dizer: "Este centro sou eu? Ele muda a cada momento: pela manhã, você está comraiva e sente que é a raiva; à tarde, fica amoroso e pensa: "Eu sou amor"; à noite, está frustrado e pensa:"Eu sou frustração". Há algum centro em você? Ou você é apenas uma multidão em movimento? Do jeito que você está, não existe nenhum centro, não há nenhum centro ainda — e um homem sem um centro é um doente. Um homem saudável é um homem com um centro. Jesus disse: "Auxilie as pessoas a alcançarem o centro"; assim, seja qual for o caos ao redor haverá um centro por dentro, você permanecerá centrado vinte e quatro horas por dia; algo permanecerá contínuo — esse continuam tornarse-á seu Ser.



Observe: existem três camadas na existência. Uma camada é objetiva, é o mundo objetivo; seus sentidos transmitem tudo o que está a sua volta — seus olhos vêem, seus ouvidos ouvem, suas mãos tocam. O mundo objetivo é a primeira camada da existência e, se você estiver envolvido por ela, permanecerá satisfeito com a mais superficial. Há uma segunda camada em seu interior, a camada da mente: pensamentos, emoções, amor, raiva, sentimentos — esta é a segunda camada. A primeira camada é comum — se eu tiver uma pedra em minha mão você será capaz de vê-la — ela é um objeto comum a todos. Mas ninguém pode ver o que está dentro da mente. Quando você olha para mim, vê apenas o meu corpo; nunca me vê. Quando eu olho para você, vejo apenas o seu corpo, não você. Uma outra pessoa pode ver o seu comportamento: como você age, o que faz, como reage. Pode ver a raiva em sua face, o rubor, a crueldade, a violência em seus olhos, mas não pode ver a raiva dentro da sua mente. Pode ver um gesto amoroso demonstrado pelo seu corpo, mas nãopode ver o amor. E você pode estar apenas fazendo um gesto, talvez não haja nenhum amor. Você podeenganar os outros por meio de ações, e é isso o que você tem feito. Seu corpo pode ser conhecido pelos outros, mas a sua mente não. O mundo objetivo é comum a todos; é o mundo da ciência. A ciência diz que essa é a única realidade porque: "Nós não podemos saber sobre os pensamentos — se eles existem ou não, ninguém sabe. Você diz que eles existem, mas eles não são aparentes, objetivos; nós não podemos experimentá-los, não podemos vê-los. Você os transmite, mas pode estar nos enganando ou sendo enganado — quem sabe?" Seus pensamentos não são coisas mas você bem sabe que existem. Sabe que não existem apenas coisas, mas pensamentos também. Entretanto, os pensamentos são privados, não são comuns. A camada externa, a primeira camada, a camada da superfície cria a ciência. A segunda camada, a dos pensamentos e sentimentos, cria a filosofia, a poesia. Mas isso é tudo? Matéria e mente? Se isso fosse tudo, você não poderia nunca ficar centrado porque a mente é sempre um fluxo. Não tem nenhum centro:ontem, você teve determinados pensamentos, hoje tem outros; amanhã terá outros — é como um rio, nãotem nenhum centro em si. (...)Você compreende pela mente e a mente embaralha, confunde, interpreta — então esta asserção torna-se perigosa (...)


Na mente, não se pode encontrar qualquer centro: os pensamentos mudam, os sentimentos mudam; há um fluxo. Desse modo, você permanece sempre doente, confuso, não pode nunca estar são. Mas há também uma outra camada na existência, a mais profunda. A primeira é o mundo objetivo, o mundo da ciência; a segunda é o mundo dos pensamentos — a filosofia, a poesia, os sentimentos, os pensamentos. E há uma terceira camada que é o mundo da religião, do testemunho — daquele que observa os pensamentos, daquele que observa os objetos. Esse observador é único; não existem dois. Se você está olhando para uma casa com os olhos abertos ou fechados, o observador é o mesmo. Se você está olhando para a raiva ou para o amor, o observador é o mesmo. Se está triste ou alegre, se a vida transformou-se em poesia ou em pesadelo, isso não faz nenhuma diferença — aquele que olha permanece o mesmo, a testemunha permanece a mesma. Atestemunha é o único centro, essa testemunha é o mundo da religião.
Quando Jesus diz: "Vá e sane as pessoas", está dizendo: "Vá e auxilie-as a alcançar seus centros, faça com que sejam testemunhas. Assim, não estarão envolvidos pelo mundo, nem pelos pensamentos, estarão enraizadas no ser". E, uma vez que você esteja enraizado em seu ser, tudo muda, a qualidade muda — você pode rezar.(...)

(...)Assim, Jesus diz: "Observe o que surge de você; não se preocupe com o que encontra." Isso tem de ser observado por você também; do contrário, toda a sua abordagem estará errada. Se você pensar continuamente no que entra, nunca desenvolverá essa capacidade de ser que pode transformar as coisas O real deve vir do ser. Primeiro, você deve mudar e ser transformado; então, tudo o que fizer será bom.
Deixe as coisas virem do seu ser. Não manipule e não controle suas ações, transforme seu ser. O real não é o que você faz, o real é aquilo que você é.


OSHO, Bagwam Rajneesh | A semente de mostarda, Vol 1. págs 71 a 76 . Editora TAO

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Estamos no facebook